1º Comissão de Smart City do ano discute a modernização de serviços públicos

1º Comissão de Smart City do ano discute a modernização de serviços públicos

Na última segunda-feira (14), aconteceu a 1º reunião da Comissão de Estudos para a Criação de um Plano de Cidade Inteligente para o município de São Paulo de 2022, na Câmara Municipal de São Paulo. Dessa vez, a comissão ouviu o co-fundador da Gove, Rodolfo Fiori e a colunista, consultora e especialista em inovação e transformação digital, Daniela Swiatek. 

Gove, uma plataforma de gestão municipal inteligente

Apresentada pelo seu co-fundador, Rodolfo Fiori que na oportunidade  ressaltou  a necessidade  da realização de estudos relacionados à transformação digital pública municipal. A empresa  enfatizou a importância da existência de plataformas que unifiquem o serviço público, facilitando a vida dos cidadãos e tornando os serviços mais acessíveis, sempre criando políticas públicas com dados e evidências. 

Além disso, Rodolfo explicou  que a Gove possui uma metodologia de autoavaliação, o que torna possível entender a maturidade da transformação digital no município. Ou seja, são formas de aprimorar os serviços digitais do município e, consequentemente, transformar o município em uma Smart City conectada por aplicativos e acessibilidade. 

Daniela Swiatek e a importância da organização nas Smart Cities

Daniela Swiatek é especialista e defende  a transformação digital, além de ter sido a redatora da Carta Brasileira para Cidades Inteligentes, que foi feita para definir o que é e como funciona uma Smart City dentro do contexto brasileiro. Para a criação da carta, inclusive, foram consultados diversos profissionais que são referências em mobilidade, urbanismo e sustentabilidade. A especialista também defende que transformar uma cidade em uma smart city é uma inovação nacional.

A carta possui 8 objetivos para guiar a criação e a ação das smart cities dentro das diretrizes compreendidas pelo manifesto de cidades inteligentes. Os principais objetivos são: um município fértil economicamente, verde, inclusivo e conectado. 

“Lá no gabinete nós fizemos um mega estudo sobre alterações no PDE que fomente várias práticas digitais e de cidades inteligentes, tem muita tecnologia que colocamos lá dentro. Ressaltando cada vez mais as discussões sobre o tema”.

Vereador Marlon Luz durante a Comissão.  

Pensando nisso, o Vereador Marlon Luz fez sugestões para acrescentar diretrizes das cidades inteligentes  no Plano Diretor Estratégico no município de São Paulo. Até mesmo porque a Comissão, da qual é presidida por ele, tem esse como principal objetivo: estudar formas de conectar de  forma sustentável e inteligente a cidade de São Paulo. Lembrando que a Comissão de Smart Cities acontece todas as segunda-feiras às 14hrs e pode ser assistida ao vivo pelo Canal da Câmara Municipal de São Paulo no Youtube. 

Leia também
Alta tecnologia e aspecto social são discutidos em última reunião da Comissão Smart Cities

Vereadores agendam votação do relatório final para 23 de maio.

Soluções tecnológicas e conectividade são os principais pontos tratados na Comissão de Smart Cities

Na tarde da última segunda-feira, aconteceu na Câmara Municipal de São Paulo a penúltima Comissão de Estudos para a Criação Read more

Comissão de Smart Cities discute engajamento civil e ferramentas tecnológicas para medidas eficientes

A última reunião da Comissão de Estudos para a Criação de um Plano de Cidade Inteligente (Smart City), de segunda-feira Read more

Comissão de Smart Cities discute desenvolvimento sustentável e plano tecnológico

Na última segunda-feira (11), aconteceu mais uma reunião da Comissão de Estudos de Smart Cities para a Criação de um Read more

Júlia

Deixe uma resposta