Dia da Mulher: motorista de app relata o dia a dia de trabalho

Dia da Mulher: motorista de app relata o dia a dia de trabalho

O dia da mulher é comemorado em 8 de março, sendo uma data de  extrema importância no calendário internacional. Apesar das homenagens, o dia representa  anos  de luta pela vida de todas as mulheres, que conquistaram seus direitos e sua independência, como é o caso das motoristas de aplicativo, que em sua profissão enfrentam desafios diarios como qualquer outro motorista e sofrem com o risco de assaltos e sequestros, mas  por serem historicamente consideradas o o sexo frágil, são vistas como alvos fáceis por pessoas mal intencionadas e sofrem com todo tipo de abusos, sendo o assédio algo comum para elas. 

Mesmo diante com os perigos envolvidos, para muitas mulheres, trabalhar como motorista de aplicativo representa uma solução para seus problemas. Como é o caso de Andreia Ribeiro, 43, que mora na cidade de São Paulo e é motorista de aplicativo desde 2016, depois que ficou viúva, enxergou no transporte por  aplicativo uma saída para  conciliar as despesas e cuidar dos 3 filhos ao mesmo tempo. “Eu sempre gostei muito de dirigir e vi a oportunidade de ter uma renda que não precisaria de hora fixa. 2 anos depois virei motorista Uber Black e motorista executiva. Amo meu trabalho”, relata Andreia. 

Porém, ser uma mulher nesse ramo tem suas complicações. Andreia explica, inclusive, que possui alguns cuidados quando está trabalhando: “Sempre faço uma primeira filtragem, como a nota do passageiro, local de embarque e desembarque”. Ela também afirma que é importante ficar atenta aos retrovisores, aos locais de parada, sendo necessário sempre escolher lugares que possuem uma certa segurança e movimento. Acima disso, a motorista aconselha que nada melhor do que seguir a sua intuição, ou seja, se você achar que não é para atender a corrida, não atenda. “Chegou no local, sentiu algo estranho? Não atenda”, disse ela.  

No Brasil, em 2021, a 99 afirmou que existem apenas 5% de mulheres como motoristas de aplicativo e o número vem se mantendo ao longo dos anos: “Quando comecei havia poucas mulheres nesse ramo, hoje já tem muito mais. Muitas vezes sou chamada para um atendimento e sou a única mulher”. O grande desafio para Andreia foi vencer o medo e aprender a se manter segura em meio à correria do dia.     

Sabendo de todas essas dificuldades, o Vereador Marlon Luz acredita que todas as mulheres merecem respeito e carinho, principalmente, as que trabalham com transporte via aplicativo, porque, assim como os homens, são elas que fazem a cidade funcionar. “Parabenizo todas as mulheres, em especial, as motoristas de aplicativo que diariamente se arriscam para levarem o sustento para seus lares. Todos os dias vocês devem ser amadas, respeitadas e admiradas por sua força e coragem!”, disse o parlamentar.  

Leia também
Uber passa a aplicar PL 158/21 no Brasil inteiro

No dia 12 de novembro de 2021, o Prefeito Ricardo Nunes sancionou a lei 17.596, fruto do PL 158/21, de Read more

Marlon Luz conquista o aumento da idade veicular para carros 2012

Um dos grandes problemas para os motoristas de aplicativo é a idade veicular muito limitada imposta a eles. Desde o Read more

Marlon Luz vai à Brasília em busca de melhorias aos motoristas de app

Nesta quarta-feira (25), o vereador de São Paulo, Marlon Luz, esteve em Brasília para participar da agenda política pautada em Read more

Júlia

Deixe uma resposta