Mobilidade na cidade de São Paulo em 2030 – Projeções Futuristas

Mobilidade na cidade de São Paulo em 2030 – Projeções Futuristas

Grande, populosa e tecnológica o suficiente para ser considerada a maior cidade do Brasil e a 8º maior do mundo, São Paulo enfrenta grandes problemas de mobilidade, ao mesmo tempo em que possui grandes promessas tecnológicas para a cidade.  

Levando tudo isso em consideração, o município já possui um planejamento concreto sobre como a mobilidade da cidade deve estar em 2030. Veja a seguir alguns exemplos e projeções do que pode acontecer em 8 anos.  

Cidade zero diesel tradicional

Em entrevista ao G1, o secretário-executivo de Mudanças Climáticas, Antônio Fernando Pinheiro Pedro,  disse que o Plano de Metas da prefeitura prevê a inclusão de um sistema que traga mais  ônibus elétricos à cidade. Junto a isso, a ideia é que o diesel tradicional seja completamente eliminado da frota de ônibus da cidade até 2030. O objetivo é que todos os ônibus no município sejam eletrificados e descarbonizados.

O plano em si é bem ousado: prevê mais 2.400 ônibus elétricos até 2024, o que é quase 20% de toda frota da capital paulistana. Porém, a finalidade dessa atualização é tornar a cidade mais sustentável e menos poluída. Por esse motivo, a base principal dessa mudança é o fornecimento de eletricidade para os trólebus. Além disso, o investimento é muito grande e são poucas as montadoras que realizam esse tipo de transporte.

Uma São Paulo mais compacta   

São Paulo é uma cidade gigante, com quase 12 milhões de habitantes e com uma periferia cada vez maior e longe da região central. Devido a isso, os moradores dessas áreas sofrem com o longo tempo de deslocamento até o seu trabalho, estima-se 3h30 no trajeto. Desde o Plano Diretor de 2013, há o conceito de cidade compacta, que incentiva o crescimento urbano nas áreas próximas a uma rede de transporte coletivo já consolidada ou que ainda será inaugurada, ou seja, nas áreas mais centrais. Com isso acontecendo, as pessoas passariam menos tempo no trânsito e no transporte público, porque estariam mais perto de seus trabalhos. De 2013 para cá a cidade não conseguiu consolidar isso por completo, mas o conceito vem fazendo parte de todos os PDEs e também fará parte do próximo PDE, assim que ele for aprovado. 

Bicicletas são o futuro

Na cidade já existe um Plano de Mobilidade Urbana para 2030, com diretrizes que contemplam uma série de ações, como a ampliação da rede destinada aos ciclistas, junto a conexão e ampliação do sistema de transporte público, além da criação de mais espaços para estacionar as bicicletas.         

Lembrando que no momento, na Câmara Municipal de São Paulo, está acontecendo a Comissão de Estudos para a Criação de um Plano de Cidade Inteligente para São Paulo, presidida pelo Vereador Marlon Luz, que entre uma das idealizações está a criação de um plano de mobilidade inteligente para o município de São Paulo. A comissão pode ser acompanhada todas as segunda-feiras às 14 horas pelo canal do YouTube da Câmara Municipal de São Paulo.

Leia também
Vida de entregador de aplicativo

Todos os dias  cresce o número de trabalhadores que se sustentam utilizando o  meio digital e, por isso, são considerados Read more

Metaverso: a nova realidade

Entendendo o que é Metaverso é um termo que está cada vez mais popular e todo esse reconhecimento é consequência Read more

Quais as regras para dirigir pela Uber?

O número de motoristas de aplicativos vem aumentando todos os anos. A própria CPI dos Aplicativos, na  Câmara Municipal de Read more

Big Data: quem fornece os dados merece ser remunerado?

Big Data é um termo que descreve um grande volume de dados que inunda uma empresa todos os dias. Esses Read more

Júlia

Deixe uma resposta