Vida de entregador de aplicativo

Vida de entregador de aplicativo

Todos os dias  cresce o número de trabalhadores que se sustentam utilizando o  meio digital e, por isso, são considerados autônomos, como é o caso dos entregadores de aplicativos. Por ser um mercado imaturo, os desafios enfrentados pela categoria são pouco conhecidos.

Uma rotina livre

Quem nunca sonhou em ser seu próprio patrão? Pois é, mas esse ramo tem seus prós e contras, por exemplo: o entregador não possui vínculo contratual com a empresa, o que proporciona a possibilidade de trabalhar nos horários que preferir, obtendo seu lucro em consequência das horas trabalhadas. Com isso, o entregador tem uma liberdade muito grande para decidir como será sua rotina. Já, por outro lado, sofrem com as exigências das plataformas que não oferecem nenhuma garantia, nem segurança previamente estabelecida e sem falar nos ganhos baixos. Para se ter noção, o entregador tem que trabalhar cerca de 4 horas por dia para receber cerca de R$1.300 ao mês, e no fim ele vê o seu lucro reduzido, devido aos gastos com gasolina e manutenção do veículo.

As subdivisões e as dificuldades

No estado de São Paulo, as categorias de entregadores se dividem por ciclistas e  motoqueiros. Quem tem moto, consegue atingir resultados muito mais favoráveis, por conta da rapidez do serviço e, consequentemente, o aumento de pedidos atendidos. Por esse motivo, esses motoristas conseguem uma renda maior e também fazem um trabalho menos exaustivo. Já os entregadores que utilizam bicicletas, dependem essencialmente de sua força física para atingir as metas do dia, o que diminui o fluxo de pedidos. 

Em questão de saúde física e psicológica, o dia a dia do trabalho pode ser prejudicial. A implicação mais direta, é o cansaço e a exaustão física. Problemas esses que poderiam ser minimizados pelos pontos de apoio para descanso. Muitos deles optam por descansar em shopping centers, calçadas e até em cima de suas motos e bicicletas. Para oferecer o mínimo de suporte  nessas situações, algumas empresas criaram pontos de apoio contendo bebedouro, tomadas adaptadas para recarregar o celular, microondas e banheiro, onde os trabalhadores podem ter um tempo de folga entre as entregas. 

Nessa corrida por melhores ganhos, os entregadores também enfrentam dias chuvosos, pondo a saúde em risco e sem folga aproveitam os finais de semana, com o único objetivo que é obter o melhor  lucro, coisa que não conseguem em dias comuns, devido o menor fluxo de pedidos. São diversos sacrifícios feitos com esse propósito, e dependendo das horas trabalhadas e das circunstâncias, o ganho pode valer o esforço. 


Trabalhar como entregador pode ser uma forma de ganhar um dinheiro extra, complementar, mas fica complicado quando se torna a única renda.  Com essas informações você já consegue decidir pela profissão ou não, e já sabe que se quiser aumentar os ganhos  como motoboy, precisa seguir as dicas simples como trabalhar em dias e horários com maior fluxo de pedidos e sempre escolher áreas estratégicas, como aquelas próximas a bares, restaurantes e outros estabelecimentos.

Quanto às dificuldades enfrentadas, o vereador Marlon Luz tem exercido um importante papel em defesa de melhores condições em prol tanto dos motoristas de app quanto dos entregadores. A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Aplicativos, retornou suas atividades no dia 08 de fevereiro de 2022, na Câmara Municipal de São Paulo,  e a primeira reunião do ano foi presidida pelo vereador Marlon, com enfoque no abuso de empresas  de aplicativos que trabalham com entregas. 

A primeira empresa a depor foi a Rappi, com diversas denúncias sobre a forma com que ela lida com seus entregadores, a empresa não conseguiu se defender quanto ao abuso na exigência de rapidez sobre os trabalhadores quanto às entregas.
O diferencial desta CPI, foi que esses entregadores tiveram a chance de fazer suas denúncias no próprio chat público do youtube, em que a comissão era transmitida. O vereador Marlon reconhece todas as dificuldades pelas quais o entregador de aplicativos passa e, por isso, a defesa desse grupo passou a ser uma de suas maiores pautas dentro da Câmara Municipal. As CPIs acontecem toda a semana, às quartas feiras, e existe a possibilidade de acompanhá-la ao vivo pelo canal do YouTube da Câmara Municipal de São Paulo. 

Leia também
São Paulo pode aceitar criptomoedas para pagamento de IPTU
Criptomoeda

Proposto pelo vereador Marlon Luz, foi divulgado pelo Diário Oficial de São Paulo o projeto de lei 344/22, que autoriza Read more

Nova CNH: entenda como será o novo modelo da habilitação
Nova CNH

O novo modelo da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) começou a ser emitido no início deste mês. O documento tem Read more

Por que a inclusão digital deve ser um direito fundamental da população?
Inclusão digital

O Senado aprovou a proposta de emenda à Constituição (PEC) que estabelece a inclusão digital como um dos direitos fundamentais Read more

Metaverso: a nova realidade

Entendendo o que é Metaverso é um termo que está cada vez mais popular e todo esse reconhecimento é consequência Read more

Júlia

Deixe uma resposta