Mitos e Verdades para economizar combustível

Mitos e Verdades para economizar combustível

Em meio aos constantes aumentos dos combustíveis, muitos motoristas, principalmente de aplicativos, buscam meios de economizar no consumo e driblar o aumento nos postos.

Com o objetivo de esclarecer o que é mito e o que é verdade, Marlon Luz, vereador na cidade de São Paulo, elaborou sugestões para ajudar na economia do dia a dia dos motoristas. Confira abaixo.

– Deixar os pneus dos veículos calibrados ajuda na economia?

VERDADE. Segundo uma pesquisa da Pirelli constatou que 80% dos carros que circulam na cidade estão sem calibragem. Detalhe: veículos com pneus descalibrados gastam entre 10% a 20% mais combustível. O ideal é calibrar e de preferência com os pneus frios.

– Rodar com o veículo carregado afeta ou não o consumo?

MITO. Muitos motoristas costumam fazer do veículo uma extensão de casa e carregar diversos itens que não serão utilizados em caso de emergência. Isso significa sacrificar combustível em troca de praticidade. É fato que todo peso transportado exige mais força do veículo, o que requer maior consumo de combustível.

– Evitar trafegar com o carro no ponto morto ajuda?

VERDADE. Sem carga no acelerador, a passagem de combustível é interrompida e a média de consumo despenca. Ou seja, o conselho de que andar em ponto morto economiza combustível não passa de um mito. O ideal é deixar a marcha engatada e deixar o motor do carro rodar.

– Dirigir com pneus murchos aumenta ou não o consumo?

MITO. É muito prejudicial ao veículo rodar com os pneus murchos, uma vez que essa prática aumenta o atrito entre o pneu e a pista, o que exige mais força para movimentação e causa riscos para a segurança.

– Acelerar com o carro parado no semáforo aumenta o gasto?

VERDADE. Quando estiver parado, a aceleração é desnecessária e contribui para esvaziar o tanque mais rápido. Outra prática que ajuda na economia é sempre ir observando o trânsito à frente e, ao notar que o tráfego vai parar, desacelere o veículo aos poucos antes de frear. Com o carro engrenado, mas sem acelerar, a injeção eletrônica envia menos combustível ao motor.

– Dirigir com as janelas abertas na cidade gasta menos combustível?

VERDADE. Na cidade, os veículos costumam trafegar em velocidade mais baixa, então a recomendação é desligar o ar-condicionado e circular de janelas abertas. Já na estrada, o uso do ar-condicionado é mais indicado, porque a janela aberta provoca resistência aerodinâmica, de forma a exigir mais do motor e aumentar o consumo de combustível.

– Óleo lubrificante vencido e filtro de ar sujo não influência no gasto?

MITO. Usar o carro com o óleo lubrificante de prazo vencido ou fora das especificações do manual faz o motor consumir mais e, pior, durar menos. No filtro de ar, a sujeira diminui a entrada de ar no motor, e também, aumenta a injeção de combustível, podendo aumentar o gasto em até 8%.

– Manter o alinhamento e balanceamento em dia contribui para economizar?

VERDADE. O alinhamento correto faz com que os pneus se desgastem menos e o balanceamento evita trepidações ao rodar. Além disso, previnem o aumento do atrito dos pneus no solo além do necessário e não deixam que o veículo perca desempenho.

Leia também
Vereador Marlon Luz se reúne com motoristas para discutir os abusos das plataformas

No dia 16 de novembro, o Vereador Marlon Luz realizou um evento em parceria com a ADE SAMPA, onde os Read more

CPI DOS APPs: VEREADOR MARLON LUZ REIVINDICA A URGÊNCIA DE AUDITORIA NA UBER PARA EVITAR EVASÃO FISCAL AO MUNICÍPIO

CPI DOS APPs: VEREADOR MARLON LUZ REIVINDICA A URGÊNCIA DE AUDITORIA NA UBER PARA EVITAR EVASÃO FISCAL AO MUNICÍPIO A Read more

CPI dos Aplicativos aprova mais de 60 requerimentos

Vice-presidente Marlon Luz ressaltou a importância da regulamentação que beneficie os motoristas de aplicativos Depois de uma pausa devido a Read more

APROVADO: UBER E 99 SERÃO OBRIGADAS A DAR TRANSPARÊNCIA NOS RECIBOS AOS USUÁRIOS

PL 548/2021 de autoria do vereador Marlon Luz segue para sanção do prefeito de São Paulo Com o objetivo de Read more

besseler

Deixe uma resposta